Select Page

 

Olá…


Outro dia um amigo me contou uma história, que achei interessante compartilhar, pois apesar de saber desta correlação, eu não sabia que crises de infecção urinária podem causar fortes delírios.

A mãe deste amigo — que vou aqui chamar de Paulo —  é uma senhora muito independente apesar da idade avançada e de algumas doenças crônicas,  que sempre gostou de morar sozinha e levar sua vida normalmente. Os filhos a visitam com frequência para verificar se esta tudo bem ou se ela precisa de algo.

Paulo estava no escritório dele quando recebeu uma ligação da mãe, dizendo que estava chateada, pois ele tinha ido lá, e saiu do lugar sem nem dar tchau. Ele perguntou a ela quando tinha sido isto, pois havia passado alguns dias desde sua última visita. Ela falou que ele estava pregando peças nela, pois tinha saído de há pouco tempo.

Obviamente ele ficou preocupado, pois tinha ido na casa da sua mãe há mais de uma semana. A primeira coisa que pensou é que alguém tinha entrado na casa, mas a mãe disse que tinha falado com ele.

Ele foi fazer uma visitá-la naquela mesma tarde, e ela começou a falar que o pai também tinha ido lá. O pai de Paulo faleceu há mais de dez anos. Ele ficou definitivamente preocupado, e resolveu levar a mãe ao médico. A princípio e pela idade avançada dela, pensaram que era início de Alzheimer ou algo parecido, mas foram pedidos diversos exames, e constatou-se que ela estava com infecção urinária. O médico iniciou o tratamento e disse que era quase certo que as alucinações experimentadas eram resultado da infecção urinária.

Ela ficou internada por alguns dias e medicada, parou de ter alucinações. Quando meu amigo contou esta história eu decidi compartilhar, pois nunca tinha ouvido falar que crises de infecção urinária podem causar um grau tão elevado de delírio. Mas como e em quem pode surgir o delírio?

O delírio pode surgir em qualquer idade em em qualquer tipo de pessoa. Porém, o mais habitual é ele aparecer em idosos que estão internados em hospitais ou em lares da terceira idade. Até metade dos idosos que permanecem internados desenvolvem algum grau de confusão mental. Se o paciente já possui alguma doença neurológica, ou se a internação foi motivada por alguma infecção, como pneumonia ou infecção urinária, o risco de delirium é altíssimo. Quanto mais debilitado estiver o paciente, maior é o risco de desenvolver confusão mental.

O paciente internado, além de obviamente estar doente, o que por si só é um fator de risco para o delirium, sai completamente da sua rotina, perde a noção do tempo, muitas vezes não acompanha o ciclo dia-noite, usa diversos medicamentos e costuma ficar a maior parte do tempo, quando não todo o tempo, restrito ao leito do quarto. A internação hospitalar geralmente é um momento em que vários fatores de risco para o desenvolvimento de um estado confusional estão presentes, tornado os quadros de delírio uma situação extremamente comum.

Quando um paciente idoso em bom estado desenvolve delirium em casa, geralmente há alguma causa oculta por trás. Idosos costumam reagir de modo diferente às infecções. Muitos não apresentam febre e podem não ter queixas muito específicas. O aparecimento do delírio ou delirium pode ser a única dica para um quadro infeccioso em curso, como infecção urinária

O caso da mãe do meu amigo Paulo enquadra-se neste último caso. E você, conhece alguém que tenha passado por isto?

Compartilhe com seus amigos e amigas este artigo, ele pode ser útil.

🙂

Share This